É mais do que apenas um "Golf com porta-malas"

O Volkswagen Jetta acaba de ganhar uma nova geração. Nós já aceleramos o sedã e gostamos deles - suave, fácil de usar, esperto, quieto e prático. É a sétima geração do sedã médio e, para mostrar todas as melhorias ao longo das quase quatro décadas de vida, a fabricante alemã está comparando o novo Jetta com o modelo original, representando por uma unidade de 1982 recentemente adquirida e restaurada pela empresa.

Lançado nos Estados Unidos em 1980, o Jetta só chegou ao Brasil em 1999, com o nome de Bora. Só assumiu a verdadeira identidade em 2005, quando a Volkswagen lançou a quinta geração do carro no nosso mercado. Sempre foi definido como um "Golf com porta-malas", por compartilhar a plataforma e motorização com o hatch médio.

Leia também:

Os principais atributos do Jetta, como a lista de equipamentos de série, motorização simplificada com poucas versões e dinâmica acertada não mudou muito desde a primeira geração. Quando foi apresentado, o Jetta original estava disponível somente com o motor 1.6 aspirado a gasolina e era bem equipado, com rádio com toca-fitas, por exemplo. Seus únicos opcionais eram a transmissão automática de 3 marchas (enquanto agora tem uma de 8 posições), ar-condicionado, teto solar e rodas de alumínio.

Volkswagen Jetta: 1982 contra 2019
Volkswagen Jetta: 1982 contra 2019

Uma olhada rápida nos 39 anos de desenvolvimento mostram que o novo Jetta é maior em todas as dimensões e tem ainda mais espaço do lado de dentro e no porta-malas. Mesmo uma comparação simples entre os espelhos laterais mostram o quanto o carro evoluiu - o Jetta de 1980 contava com retrovisores que poderiam ser ajustados sem abaixar os vidros, enquanto a nova geração tem ajustes elétricos e pode oferecer detector de ponto cego, avisando os motoristas de carros em outras faixas que possam não ser vistos pelos espelhos.

Fonte: Volkswagen

Galeria: Volkswagen Jetta: 1982 contra 2019