Cada vez mais modernos (e caros), os modelos de entrada começam a sumir...

Se a modernização dos nossos automóveis traz mais segurança, tecnologias e conforto para o público, por outro lado deixa os valores consideravelmente mais altos - mesmo nas versões de entrada. Basta ver a (pouca) quantidade de opções na faixa dos R$ 40 mil e perceber que estamos cada vez mais perto de começar a falar em carros zero quilômetro somente acima dos R$ 50 mil...

Galeria: Chevrolet Onix Joy 2020

O novo Onix trouxe equipamentos inéditos, uma nova plataforma e motores mais modernos, mas mesmo mantendo o preço de tabela intocado, perdeu o poder de negociação que tinha, algo que ficou para o que agora se chama Joy, o Onix da geração anterior com novo nome. Nesta lista de modelos mais baratos, nos limitamos a falar de Renault Kwid e Fiat Mobi, além do Ford Ka em suas versões de entrada.

Se por um lado isso limita o tipo de consumidor que comprará um carro zero, isso abre mais espaço para o mercado de usados. Até mesmo a legislação nos leva para carros mais caros, com novas exigências em termos de segurança e eficiência energética, algo que tem gerado custo para os fabricantes e, claro, é repassado ao consumidor na hora da compra. 

As tendências do mercado também levam a aumentos de preços. Os SUVs, por exemplo, são mais rentáveis aos fabricantes e vendem como pão quente na padaria, então é comum os projetos focarem neste segmento superior do que em hatches de entrada, bem menos rentáveis aos cofres das empresas. Ouça nossa discussão e deixe sua opinião nos comentários abaixo:

 

Participam desta edição:

Ouça nosso Podcast gratuitamente nas plataformas