Crossover francês tem ótimo desempenho, é bem equipado e tem custos baixos

Dado curioso: os três mais bem classificados nesta categoria custam exatamente o mesmo, R$ 99.990, ou seja, mostram que as marcas estão explorando a tal barreira psicológica de custar "abaixo" de R$ 100 mil. A briga aqui foi basicamente entre SUVs e sedãs, já que neste ano o segmento dos hatches médios ficou praticamente reduzido ao Cruze Sport 6 - e ele está às vésperas de uma reestilização. Veja no que deu: 

1) Citroën C4 Cactus Shine Pack: R$ 99.990

Revisões: R$ 1.872,00

Desvalorização: 12,7%

Seguro: R$ 4.300,00

Cesta de peças: R$ 3.837,96

Citroën C4 Cactus Shine

Vendido na Europa como hatch aventureiro, no Brasil o C4 Cactus reforçou o lado crossover com suspensão elevada e um rodar muito confortável em nosso piso esburacado. Esta versão Shine também se destaca pelo motor 1.6 THP (173 cv e 24,5 kgfm) ligado ao câmbio automático de 6 marchas, conjunto que faz dele o modelo mais rápido da categoria. Também possui bom nível de acabamento e traz um amplo pacote de equipamentos, incluindo painel digital, rodas de liga aro 17", multimídia de 7", alerta de saída de faixa e sistema de frenagem automática de emergência com alerta de colisão, além dos 6 airbags. Seus custos regulam com os do T-Cross (bem mais baixos que os do Jetta) e o pós-venda da Citroën foi um dos que mais evoluiu nos últimos tempos, só perdendo para Toyota, Honda e Hyundai na pesquisa da J.D. Power.

2) VW Jetta 250 TSI: R$ 99.990

Revisões: Inclusas no preço do carro

Desvalorização: 14,3%

Seguro: R$ 4.500,00

Cesta de peças: R$ 9.696,50

VW Jetta 250 TSI

Se você prefere sedãs a SUVs, fique à vontade para considerar o Jetta como vencedor. A nova geração do modelo da VW chegou maior, mais equipada e mais segura, ainda que tenha perdido pontos na dirigibilidade. Mesmo esta versão de entrada já vem bem equipada, incluindo 6 airbags, central multimídia de 8", freio de estacionamento eletrônico, faróis de LED, sensor de chuva e sensores de estacionamento na frente e atrás. O motor 1.4 TSI (150 cv e 24,5 kgfm) proporciona bom desempenho e o porta-malas de 510 litros é um dos maiores do segmento. Assusta, porém, no preço das peças, que custa mais que o dobro do pacote do Cactus.  

3) VW T-Cross Comfortline: R$ 99.990

Revisões: Inclusas na compra do carro

Desvalorização: N.A.

Seguro: R$ 4.500,00

Cesta de peças: R$ 3.574,05

Volkswagen T-Cross 200 TSI Comfortline

O crossover do Polo poderia ter se classificado melhor se custasse menos - esta versão intermediária cobra o mesmo do C4 Cactus top e seus equipamentos mais legais são cobrados à parte (na grande lista de opcionais). No entanto, o T-Cross Comfortline tem bom espaço, condução agradável e bons itens de segurança (ESP, 6 airbags e o diferencial blocante XDS). Itens de série incluem ainda o ar-condicionado digital, as rodas de liga aro 17" e a central multimídia com tela de 6,5". O motor 1.0 TSI (128 cv e 20,4 kgfm) entrega desempenho satisfatório e é eficiente no consumo de combustível. Por fim, destaca-se no pós-venda, com as revisões já inclusas no preço de compra e o pacote de peças mais barato entre os finalistas da categoria. 

Dica: Honda Civic Sport MT - R$ 92.300

Honda Civic Sport 2017

A Honda é a única marca a manter uma versão com câmbio manual de seu sedã médio - sem contar o esportivo Si. Para quem curte maior interação com o carro, o Civic Sport MT tem um conjunto muito interessante para esta faixa de preço, embora seu público seja bem limitado - a maioria esmagadora das vendas do Civic são dos modelos CVT. O câmbio de 6 marchas tem engates curtinhos e ajudam a extrair o melhor do motor 2.0 (155 cv e 19,5 kgfm), enquanto a suspensão independente nas quatro rodas (multilink atrás) e a direção com relação variável deixam o sedã afiado nas curvas.

Fotos: divulgação e arquivo Motor1.com